quinta-feira, 15 de abril de 2010

PRISÃO PERPÉTUA


PRISÃO PERPÉTUA
Milene Sarquissiano


Eu quero um amor bandido
Que me faça correr riscos
Que ponha minhas mãos pro alto
E faça em meu corpo, assalto
Vasculhando o meu bem precioso
Revirando-me pelo avesso
Num delito de intimidades
Que me deixe na miséria
E leve de mim, o que quiser

E que depois, seja o mocinho
E eu, o temido bandido
Que me encoste contra a parede
Com as pernas bem afastadas
E me passe em revista
Apalpando-me minusciosamente
Numa tortura quase hedionda
Me fazendo ré confessa
Algemada e prisioneira

E que, quando necessário
Nomeie-se meu advogado
Com totais e plenos poderes
Me defenda incondicionalmente
Garantindo-me o habeas corpus

E que eu, posta em liberdade
Faça mau uso do juízo
Pra me tornar reincidente
E voltar para o teu cárcere
Inafiançável, e agora, perpétuo

2 comentários:

  1. Milene,

    Seu blog está deliciosamente macio.
    Ele tem o seu perfume,
    tem o seu jeito,
    tem, imagino eu, o seu sabor.

    Parabéns.

    w.

    ResponderExcluir
  2. Sensual... marcante, brilhante...

    ResponderExcluir